Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
Notícia
Não deixe a violência entrar em campo!

Bahiana participa de campanha contra a exploração de crianças e adolescentes.

"Convidar a sociedade a ficar alerta e tomar atitudes cidadãs visando proteger crianças e adolescentes de quaisquer situações de violência, maus-tratos e violação de direitos, especialmente na questão do abuso e exploração sexual". Esse é o objetivo da campanha "Não deixe a violência entrar em campo" que a Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública vem trabalhando desde maio, como explica a assistente social da instituição, Lucy Luz, idealizadora da iniciativa. "Participo de capacitações sobre o tema, desde 2011, como voluntária do Movimento Bola na Rede e, então, visando repassar os conhecimentos para os colegas, fizemos palestras sobre o tema na Mostra Científica da Bahiana, em 2012, gerando muito interesse dos funcionários pelo assunto. Sugerimos, então, que fizéssemos essa campanha no período próximo à Copa, visando gerar a sensibilização de mais pessoas sobre a necessidade de nos envolvermos ativamente numa campanha contra maus- tratos."

Segundo Lucy, a campanha é de extrema relevância, pois Salvador já apresenta altos índices de violência contra crianças e adolescentes. "Ouvimos do presidente do Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual de Crianças e Adolescentes, durante o Seminário 18 de Maio, promovido pelo Ministério Público da Bahia, para tratar dessa questão, que dos 30 municípios mais violentos no Brasil, Simões Filho, cidade vizinha a Salvador, está em primeiro lugar. E constam 12 municípios baianos entre os 30 citados, incluindo Salvador. Ou seja, quase metade das cidades mais violentas com as crianças em todo Brasil, estão na Bahia." 

O momento da Copa do Mundo, em que o país recebe muitos turistas, torna-se mais que oportuno alertar a sociedade para essa situação. "A exploração sexual no turismo é um risco evidente. A sociedade precisa estar alerta e denunciar em caso de suspeita e proteger as crianças e adolescentes da exposição a esse tipo de violência", sinaliza a assistente social.

A Bahiana lançou a campanha "Não deixe a violência entrar em campo", participando com a divulgação do número de denúncia Disque 100. Além disso, colocou outdoor e cartazes nas unidades acadêmicas, banner digital no site, assim como imprimiu cinco mil panfletos educativos alertando sobre o tema que foram distribuídos nas salas de espera do Ambulatório Docente-Assistencial e também por integrantes do Movimento Bola na Rede.