Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
Notícia
Estudantes de Medicina da Bahiana são selecionados para concorrer ao Prêmio Professor Doutor Roberto Santos
Os estudantes da Bahiana João Victor M. P. de Oliveira e André Luiz Freitas de Oliveira Júnior conquistaram duas das três vagas concorrentes à premiação.
Os graduandos do curso de Medicina da Bahiana João Victor M. P. de Oliveira e André Luiz Freitas de Oliveira Júnior tiveram os seus trabalhos de conclusão de curso selecionados como finalistas no Prêmio Professor Doutor Roberto Santos, concedido anualmente pela Academia de Medicina da Bahia aos autores do melhor TCC em graduação, no Estado da Bahia.

O Prêmio, que consiste em medalha e certificado, tem como objetivo incentivar a qualidade da pesquisa científica na graduação em Medicina, no estado. Ao todo, foram selecionados três finalistas. O resultado será divulgado no dia 15 de dezembro de 2020.
 
Da esquerda para a direita, André Luiz Freitas de Oliveira Júnior e João Victor M. P. de Oliveira - Fotos de arquivo pessoal.

Intitulado "Acurácia do Julgamento Heurístico na Predição de Doença Arterial Coronariana em Pacientes com Dor Torácica Aguda", o trabalho, conforme a explicação do próprio autor, André Luiz, é um estudo de acurácia (precisão de medição) que avalia o quanto o julgamento intuitivo dos cardiologistas é capaz de predizer a doença arterial coronariana em pacientes com dor torácica aguda. Os profissionais fizeram isso em um contexto de emergência, "e já que o julgamento intuitivo é um processo muito suscetível a vieses cognitivos, esse modelo ainda não é validado nas diferentes circunstâncias clínicas. A experiência se configura como uma importante variável dessa equação, pois, quanto mais experiente é o profissional, maior é a sua exposição a determinado quadro clínico e, por isso, mais imediato tende a ser o seu raciocínio (ele utiliza o sistema 1 de Kahneman), diferentemente de um profissional ainda inexperiente, que, muitas vezes, se apropria de um raciocínio mais lento e algorítmico (ele utiliza o sistema 2 de Kahneman)".

"Validação de um algoritmo de inteligência artificial para prevenção diagnóstica de doença coronariana em pacientes com dor torácica aguda – comparação com o modelo estatístico tradicional" é o título do trabalho finalista de João Victor. O estudante explica que o estudo almeja comparar modelos estatísticos tradicionais, como, por exemplo, uma análise multivariada com regressão logística, com a inteligência artificial, e saber qual é a diferença entre eles, ou se ambos são boas ferramentas preditoras. "Eu resolvi me inscrever no prêmio porque, quando desenvolvemos o trabalho, tivemos um bom resultado, com boa metodologia. Nós, eu e meu orientador, sentimos que essa linha de pesquisa poderia gerar mais novos trabalhos. Por sinal, o nosso grupo de pesquisa está fazendo um trabalho nessa área".

Ambos os estudantes são integrantes do Grupo de pesquisa Registros de Síndromes Coronarianas Agudas (RESCA), coordenado pelo prof. Luís Cláudio Correia Lemos. "Gosto de comparar o RESCA a uma bússola. A bússola nunca nos diz exatamente o que está na nossa frente, mas representa um excelente artifício para nos direcionar ao melhor caminho. No RESCA, sinto que fui norteado a trilhar um bonito percurso durante a minha graduação, adquirindo, de forma precoce, um sólido fundamento científico. Existe, lá, uma curiosa cultura de que nunca ninguém “consegue o peixe” de maneira fácil: é necessário esforço e proatividade para conquistar alguma coisa dentro do grupo", declara André Luiz, ressaltando que o coordenador sempre mune seus alunos pesquisadores com diversas ferramentas para que evoluam cientificamente.

Sobre a premiação, João Victor ressalta ser importante para a sua carreira na Medicina. "Essa premiação, na minha carreira, vai ser muito gratificante porque representa uma parte do meu lado acadêmico que eu gosto muito, que é a parte de pesquisa, de sempre estar aprendendo, de sempre estar questionando. E o TCC é, normalmente, aquele primeiro contato que nós temos com essa área de pesquisa. Eu ficaria muito grato e muito feliz de ter essa premiação, vamos dizer assim, coroando esse trabalho que já foi importante para mim e para minha vida futura como médico", declara.

Para André Luiz, "esse tipo de premiação é fundamental para estimular os estudantes a sempre buscarem algo a mais. O Brasil é sempre um dos primeiros na lista internacional em número de artigos publicados, mas é também um dos últimos em qualidade nessas produções. Por isso, uma iniciativa como o Prêmio Professor Doutor Roberto Santos é muito importante para conscientizar a futura geração de médicos a respeito da importância da pesquisa de qualidade. Além disso, a premiação pode gerar uma reação em cadeia, pois nós, seres humanos, somos guiados pelo exemplo".