Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
Notícia
Projeto Face Shield for Life 3D entrega mais de 4 mil máscaras para profissionais de saúde
A ação reuniu profissionais e voluntários na confecção de máscaras de proteção individual em 3D que evita contágio pelo coronavírus.
Projeto Face Shield for Life 3D entrega mais de 4 mil máscaras para profissionais de saúde O projeto Face Shield for Life 3D atingiu a marca de 4.038 unidades entregues à Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (SESAB). Assim, a ação, que foi iniciada no dia 21 de março de 2020, se encerrou no dia 27 de abril de 2020 ao alcançar a meta de 4 mil unidades confeccionadas e distribuídas. O objetivo do projeto foi contribuir na contenção do contágio pelo coronavírus e na promoção do tratamento de pessoas infectadas, por meio da confecção de máscaras de proteção individual para profissionais da saúde. As máscaras foram produzidas com impressoras 3D, e os insumos para a fabricação foram adquiridos via doação voluntária da sociedade.

A iniciativa foi organizada por professores, pesquisadores e voluntários da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), Instituto Federal da Bahia (IFBA), ONG Instituto PEPO, Mini Maker Lab, Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC), Coruja Lab e da empresa ALGETEC – Soluções em Engenharia.

“A partir de uma solicitação da professora da Bahiana Ana Verônica Mascarenhas, que também é médica do Couto Maia, para a produção de 21 máscaras de proteção individual, iniciamos o projeto em parceria com outras instituições”, explica um dos coordenadores do projeto, o pró-reitor de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação Stricto Sensu da Bahiana, prof. Dr. Atson Souza Fernandes. Além do prof. Atson Fernandes, participaram do comitê gestor os pesquisadores Leandro Brito Santos (UFOB) e Eduardo Manuel de Freitas Jorge (UNEB), que também integrou o comitê de produção ao lado de Elton Borges de Sena Barreto do CJCC, Leandro Brito Santos (UFOB) e Peterson Albuquerque Lobato do Mini Maker Lab.

O professor Atson conta ainda que foi necessário montar uma campanha para arrecadar fundos: “Com a campanha, arrecadamos R$60 mil e estruturamos uma central de montagem, desinfecção e embalagem na Bahiana. As peças confeccionadas na impressora 3D eram encaminhadas à SESAB, que fazia a distribuição nas unidades hospitalares do Estado da Bahia. Dessa forma, o trabalho foi intenso. Mas, concluímos com êxito e atingimos a meta prevista, que era confeccionar quatro mil unidades”, finaliza o pró-reitor.