Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
Notícia
Bahiana participa do 57º COBEM
Instituição tem destaque com a apresentação de trabalhos.
A Escola Bahiana de Medicina e Saúde pública participou de mais uma edição do Congresso Brasileiro de Educação Médica, que aconteceu de 29 de setembro a 2 de outubro na cidade de Belém do Pará. Este ano, o maior encontro da área no Brasil teve como tema central "Educação Médica Transformadora: compromisso e responsabilidade social".

A programação transcorreu-se em torno de cinco eixos temáticos: "Currículo e metodologias de ensino-aprendizagem", "Desenvolvimento de competências e avaliação de desempenho do estudante de Medicina", "Integração ensino-serviço-gestão-comunidade", "Qualidade de vida na formação médica" e "Gestão acadêmica e avaliação de cursos e serviços".

A instituição esteve representada por uma delegação com cerca de 20 professores, entre eles o diretor da Bahiana Saúde, prof. Dr. Humberto Castro Lima, a coordenadora do curso de Medicina, Dra. Ana Verônica Mascarenhas, a coordenadora do Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e do Núcleo de Telemedicina e Telessaúde da Bahiana (NUTESB), prof.ª Marta Menezes, e a pró-reitora de Ensino de Graduação de Pós-Graduação, Dra. Maria de Lourdes Freitas Gomes.

"No COBEM 2019, tive a oportunidade de vivenciar experiências e conhecimentos que, com certeza, contribuirão para o meu aprimoramento como professora da Bahiana. O evento contribuiu para o meu aprendizado, principalmente com relação a alguns temas, como a importância do  “feedback” e do “debriefing”, uso da informática como recurso tecnológico importante para o ensino e importância da interprofissionalidade nos cursos de graduação", declara Ana Shirlei Maranhão, professora do curso de Enfermagem.
 
     

A instituição também marcou presença com a apresentação de trabalhos. A professora Iêda Maria Barbosa Aleluia, do curso de Medicina e integrante do  Programa Institucional de Desenvolvimento Docente (PROIDD), apresentou os pôsteres "Percurso do estudante de Medicina na formação da identidade profissional, desde o curso médio até o meio do curso de graduação" (autora: Isabela de Farias Costa Fernandes); “A influência do currículo formal e oculto na formação da identidade profissional dos estudantes de Medicina em uma universidade pública" (autoras: Camila Ataíde dos Santos Rocha – UNEB e Iêda Aleluia – Bahiana e UNEB) e "Remodelamento de um componente curricular que usa PBL: relato de experiência" (autores: Sandra Lúcia Brasil Santos, Maria Luisa Carvalho Soliani, reitora da Bahiana, Ieda Maria Barbosa Aleluia, Luciana Oliveira Rangel Pinheiro e Rinaldo Antunes Barros). A docente também apresentou o painel "Clínico ou cirurgião: fatores que influenciam na escolha da área de especialização médica", feito em parceria com a professora Ana Luisa Eckhard Uhlein da UNEB e destaque no COBEM.

O painel "Simulação clínica como elo de interação entre os cursos de Medicina e Enfermagem: relato de experiência" foi apresentado pela docente do curso de Enfermagem Marilaine M. de Menezes Ferreira, elaborado em parceria com as professoras Alexandra Silva, Maristela Rodrigues Sestelo, Ieda Maria Barbosa Aleluia e Simone Cardoso Passos. "O evento foi muito bom e também evidenciou que a Bahiana já está desenvolvendo ações e estratégias metodológicas para o ensino de qualidade na área da saúde", afirma a professora Marilaine.

"Vejo o COBEM como um congresso importante para o docente, já que temos a oportunidade de participar da discussão de temas relevantes na formação médica, contextualizados em oficinas, mesas-redondas, painéis e conferências", declara o professor do curso de Medicina e coordenador do internato médico de Medicina, Dilton Mendonça, que apresentou o pôster "Custo-consciência e a Campanha Choosing Wisely na graduação de Medicina" do grupo Pró-Ensino na saúde. "A Bahiana é a única faculdade no Brasil a desenvolver essa campanha na graduação, considerada muito relevante para evitar malefícios e desperdícios na saúde, formando, assim, profissionais com atitudes mais conscientes".

Segundo professora Maria de Lourdes Freitas Gomes, o COBEM se impõe como um espaço de troca de conhecimentos e saberes. “É um momento em que a gente se avalia e percebe como estamos, por meio dos trabalhos apresentados e do próprio feedback que recebemos da comunidade de educação médica”. Segundo ela, o COBEM é um congresso que permite a participação de outras áreas da saúde e este ano a Bahiana pôde contar com a participação de professores da Enfermagem e da Biomedicina.

 “O COBEM também nos permite demonstrar como nós estamos e posso garantir que estamos bem avançados no que se refere à educação médica”, a exemplo disso, ela reforça o fortalecimento das práticas e metodologias ativas de aprendizado e a introdução das questões humanísticas e éticas nos currículos acadêmicos. “Outro ponto importante foi a oportunidade de visitarmos a feira de tecnologias para o ensino, onde pudemos ver alguns estandes sobre simulação realística, que é uma realidade que nós já viemos praticando e estamos aperfeiçoando”.