Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
Notícia
TECNOLOGIA ASSISTIVA É TEMA DE ENCONTRO DE TERAPIA OCUPACIONAL

Estudantes do curso de Terapia Ocupacional da Bahiana participaram, no último dia 07 de maio, de uma sessão técnica para conhecer um pouco mais sobre iniciativas de tecnologia assistiva. O encontro, que contou com palestras de profissionais de referência em Salvador, teve o objetivo de discutir estratégias de tecnologia assistiva para a inclusão social de pessoas com deficiência. O evento foi uma realização do Estágio de Terapia Ocupacional de Atenção à Criança e ao Adolescente do SerTO – Serviço de Terapia Ocupacional da Bahiana que é supervisionado pelas professoras Ana Marta Ponte e Sofia Campos.

Segundo Profª. Ana Marta Ponte, “a tecnologia assistiva é um recurso muito bom para a inclusão e participação social de pessoas com deficiência”. O segmento é responsável pela criação e disponibilização de recursos e serviços que auxiliam pessoas com deficiência na reconquista de sua autônima, a exemplo de próteses, órteses e adaptações.
Encontro
Organizado por Deise Garrido, Priscila Maia e Yana Amazona, alunas do 9º semestre de T.O. e estagiárias do SerTO, o encontro contou com a participação da pedagoga Luciana Damasceno do Programa de Informática, Educação e Necessidades Especiais – INFOESP: O aluno construindo sua autonomia. Ela proferiu a palestra “A Tecnologia Assistiva como auxiliar na inclusão de alunos com deficiência física”.
Em seguida, a Terapeuta Ocupacional Maria Alice Campos falou sobre “Adequação personalizada em ‘Seating’”. Para finalizar o evento, os representantes da LCS Adaptações Veiculares, Renata Souza e Marcus Freitas apresentaram o tema “Mobilidade sem Limites”.
“Aqui no Estágio de atenção à criança e ao adolescente temos o projeto de tecnologia assistiva, no qual já foram desenvolvidas algumas tecnologias, pelos próprios estudantes. A intenção da gente é que o SerTO se torne um centro de referência na produção de tecnologia assistiva em Salvador, atendendo não somente seus pacientes, como também toda a sociedade”, declara Profª. Ana Marta.