Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
Notícia
BAHIANA UNIDA NA VIII MOSTRA CIENTÍFICA E CULTURAL
#
Como surgiu a vida na terra? Como essa vida se desenvolveu até estágio atual da civilização? Como se forma o corpo humano? Quantas lágrimas um ser humano derrama ao longo da vida? Estas e outras perguntas estão no filme "A História da Vida", da BBC de Londres, apresentado na abertura da VIII Mostra Científica e Cultural da Bahiana, que teve início nesta sexta-feira (26), pela manhã, no Unidade Acadêmica Cabula. Alunos, professores, funcionários, integrantes de projetos sociais convidados, além de alunos do ensino médio e fundamental do Colégio Estadual Roberto Santos participaram da solenidade de abertura da Mostra que aconteceu no Auditório 1, contou com a presença da Diretora da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, professora Maria Luisa Soliani.

"Nossas Mostras são sempre abertas para a comunidade. Sempre trazemos crianças e adolescentes em idade escolar, adultos e idosos. É um momento em que estamos dando um retorno à sociedade do que viemos produzindo cientificamente dentro da Bahiana", declara a professora Maria Luisa.

Como primeira atividade, além do filme, foi apresentada uma palestra com o professor de Oncohematologia da Bahiana, Ronald Palotta. Ele abordou aspectos de interesse da pesquisa científica, colocando o ser humano como um constante pesquisador. "O homem é um indagador desde a infância. Quando somos crianças, estamos sempre perguntando o que é isso, de onde vem aquilo. Então nesse primeiro momento, em que os alunos estão entrando na faculdade, eles já são orientados a fazer certos questionamentos e também a como responder esses questionamentos", diz.
Após a exibição do vídeo, foi realizado o sorteio das passagens aéreas, cujos concorrentes foram 65 alunos que realizaram inscrições de trabalhos na VIII Mostra, entre o período de 01 a 31 de julho. Os alunos vencedores foram Tarcísio de Melo Araújo, com o estudo "Molecular markers based on SPAR (single primer amplification reaction) indicate a new species of gymnotus (pisces gymnotus) from Reconcavo Norte - BA", com orientação da professora Flora Maria de Campos, do curso de Biomedicina. Além de Tarcísio, também participaram da construção do trabalho os alunos Tiago Santana, Gabriel Murici Cunha e Rodrigo Zuculato.

As outras passagens foram conferidas no mesmo sorteio à aluna de Biomedicina Caroline Farias Pirajá pelo "estudo da anatomia foliar da Psidium Guajava", com orientação das professoras Léia Maria e Moema Bellintanni. Caroline também contou com a colaboração das colegas Ana Cerqueira de Melo e Fernanda Seixas.

Painéis e Stands

Mais uma vez, a Mostra Científica e Cultural da Bahiana contou com uma "Sessão de Pôsteres" que está instalada no Auditório 2. A idéia é que os alunos apresentem, através de painéis informativos, seus trabalhos de pesquisa. Ao todo, estão em exposição 146 painéis com pesquisas de alunos de graduação dos sete cursos da Bahiana, entre eles, trabalhos de alunos bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - PIBIC. Outros 170 trabalhos serão apresentados por grupos de alunos da graduação, através de comunicação oral.

Todos os cursos da Bahiana estão representados na MCC8 com stands de atendimento. No espaço multifuncional, é possível realizar avaliações antropométrica, na qual são mensurados peso, altura, Índice de Massa Corpórea, cintura e quadril - para identificar possíveis problemas cardiovasculares - e dobras cutâneas. Também se pode verificar a distribuição do peso nos pés e os tipos de pés. Todos os atendimentos são realizados pelos próprios alunos, sob supervisão de professores.

Projetos Sociais

Além dos stands de atendimento médico, também estão integrando a Mostra espaços com projetos sociais que a Bahiana realiza em comunidades de Salvador e projetos convidados.

Bijuterias, vasos e caixas de materiais recicláveis são alguns dos produtos em exposição no stand do Grupo Arte Esperança: Bahiana na Comunidade / PSF Candeal. O projeto é uma iniciativa da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública e atende portadores de necessidades especiais da comunidade do Candeal, com oficinas de capacitação para a produção de artesanato.

Segundo a integrante da comissão de apoio do grupo, Cláudia Oliveira Gonzaga, o projeto alcançou importantes resultados para os participantes, "eu acho esse projeto muito bom porque as pessoas antes não faziam nada, ficavam em casa na ociosidade. Agora não. Elas vão trabalhar, procuram as atividades. São pessoas que antes nem queriam sair de casa." Cláudia destaca que um dos pontos mais importantes do projeto é que "depois que o grupo começou, as pessoas ficaram mais próximas e criaram laços de amizade".

Outra exposição que chama a atenção do visitante é a da D. Zélia Andrade Lefundes. Ela é paciente do serviço de fisioterapia da Bahiana, no Centro Médico de Brotas. Lá, foi incentivada pela sua fisioterapeuta, Dra. Silvana, a praticar o artesanato. São caixas, cadernos, agendas, porta-lápis, blocos de papel. Tudo decorado com técnicas que vão da pintura à colagem, passando pela decupagem. "No começo eu não queria fazer as coisas porque me acha sem jeito e hoje estou aqui na minha primeira exposição", conta D. Zélia, que inclusive já começou a comercializar os produtos. "Minha estréia foi na família mesmo, na época do Natal".

O que para uns pode servir como uma ferramenta de socialização, ou uma chance de obter uma renda extra, para outros pode ser usado como uma terapia. É o caso do Projeto Social Criamundo, convidado a participar da MCC 8. A iniciativa é coordenada pelo Hospital Juliano Moreira e promove diversas oficinas de artesanato para pacientes com transtorno mental. As aulas acontecem três vezes por semana e contam com técnicas de trançado, velas e sabonetes ornamentais.
"Eu sempre tive habilidade artística e depois que entrei no projeto eu me encontrei", diz Leni Nunes do Santos, integrante do Criamundo. Outra participante, Bárbara Pinto, encontrou na atividade uma forma de terapia. "Eu me descobri uma artista depois de entrar para o Criamundo. Mas, além da arte, eu me sinto bem, me sinto melhor fazendo esse trabalho", declara.

Atividades Sociais com visitantes

Integrando a programação de ações sociais da Mostra, foram desenvolvidas diversas atividades para crianças e adolescentes do Colégio Estadual Roberto Santos. Pela manhã, alunos com idades entre 05 e 07 anos participaram de uma palestra de primeiros socorros e atividade de profilaxia no escovódromo. Durante o turno da tarde, os pequeninos assistiram o Teatrinho A história de Joãozinho, sobre hábitos de higiene.

Acompanhado por estudantes monitores da Bahiana, os adolescentes participaram de diversas atividades sócioeducativas a exemplo de oficinas de orientação profissional, visita guiada ao laboratório de anatomia e da palestra Cuidando do Corpo.

Também estivarem presentes na MCC8, cuidadores de crianças portadoras do vírus HIV e adultos também portadores, assistidos pela Instituição Beneficente Conceição Macêdo. O grupo participou de atividades no escovódromo e de uma palestra de primeiros socorros.

Mini-cursos

Para os estudantes da Bahiana, a programação também dispôs de nove mini-cursos.