Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
Notícia
A Diretora da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Profa Maria Luísa Soliani, dá boas-vindas aos calouros.
Sejam Bem Vindos Calouros
A cada ano, nos últimos 55 anos, chegam novos alunos à Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. A cada ano, com eles, também chegam emoções e sonhos novos. E é por isso que, a cada ano, a Escola se renova e se prepara para acolhê-los e para ajudar a transformar seus projetos em realizações. 

Nossa tradição de bem formar profissionais para a área de Saúde foi consolidada em mais de meio século de experiência e é com orgulho que podemos dizer que em todo o Brasil, tanto nos pequenos como nos grandes centros, nossos ex-alunos são profissionais de sucesso, reconhecidos pela qualidade. 

Isto se deve a uma mistura bem dosada daquilo que, com o passar do tempo, aprendemos a fazer com competência e daquilo que buscamos inovar, de forma continuada, para responder às novas demandas. Deve-se, ainda, à visão de que um bom profissional não é só um conhecedor de técnicas e tecnologias ou um repositório de conhecimentos científicos. É, acima de tudo, um sujeito capaz de se identificar com as dores e com as necessidades das pessoas que o procuram e um cidadão preocupado com a comunidade onde está inserido, com o entendimento de que cultura e arte fazem parte da vida, ajudam a desenvolver a sensibilidade - tão necessária quando se trata de gente - e são fontes preciosas para conhecer melhor a si mesmo e aos homens que ficarão sob seus cuidados. 

Um dos projetos desenvolvidos em nossa Escola, com esta finalidade, é o Sintoniacontocom que, entre outras coisas, aplica aos calouros o questionário “Que apito você toca?”, com o objetivo de identificar talentos artísticos. A partir de 2005, a pesquisa começou a ser feita também com professores e funcionários. 

Ao final de 2006, os poetas da Bahiana foram chamados a apresentar suas produções e esta coletânea é o resultado do trabalho que pôde ser apreciado no 1º Recital de Poesia da EBMSP, atividade integrada à programação Os Novos da Bahiana - XII Recepção aos Calouros, em fevereiro de 2007. 

Ela nos traz 10 poetas, alguns mais experientes, outros novos e mesmo novíssimos. O resultado não é homogêneo, nem poderia sê-lo, pois não houve preocupação em fazer uma seleção e sim colher com carinho e alegria todos esses frutos artísticos nascidos na Bahiana, esperando que, de agora em diante, as novas safras sejam cada vez mais consistentes e vigorosas. 

Nosso reconhecimento e nosso sincero agradecimento a todos os autores. Que este primeiro volume sirva de estímulo e inspiração para os poetas adormecidos no interior de todos nós. 

Profª. Maria Luisa Soliani