Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
Notícia
A Bahiana na luta contra a DENGUE!

A grande missão é combater a formação dos focos de reprodução do mosquito.

A dengue constitui-se hoje em um sério problema de saúde pública no mundo, especialmente em regiões tropicais, onde as condições do meio ambiente favorecem o desenvolvimento e a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Muito rápida, ela pode acontecer em qualquer recipiente que retenha água parada e isso pode ocorrer, tanto em áreas de sombra quanto nas ensolaradas. A multiplicação de criadouros faz com que seja ainda mais difícil eliminar a doença efetivamente, o que só é possível com a quebra do ciclo da reprodução, já que não existem vacinas ou medicamentos que evitem a contaminação. 

TIPOS E SINTOMAS
A dengue manifesta-se de quatro formas diferentes, indo desde o tipo  inaparente, quando a pessoa está doente, mas não apresenta sintomas, até quadros de hemorragia, que podem levar o doente ao choque e ao óbito.
Há suspeita de dengue em casos de doença febril aguda com duração de até sete dias, que se apresenta acompanhada de, pelo menos, dois dos seguintes sintomas: dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores musculares, dores nas juntas, desânimo e manchas vermelhas no corpo.
 
INFECÇÃO INAPARENTE
A pessoa está infectada pelo vírus, mas não apresenta nenhum sintoma da dengue.

DENGUE CLÁSSICA
Geralmente, os sintomas da dengue surgem repentinamente e duram entre cinco e sete dias, podendo persistir ainda, após esse período, o cansaço e a indisposição. A pessoa contaminada apresenta febre alta (39° a 40°C), dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjoos, vômitos, manchas vermelhas na pele, dor abdominal (principalmente em crianças), entre outros sintomas.

DENGUE HEMORRÁGICA
A febre, extremamente alta, é um dos primeiros sintomas da dengue. Inicialmente, os sintomas da Dengue Hemorrágica assemelham-se à Dengue Clássica, mas, após o terceiro ou quarto dia de evolução da doença, surgem hemorragias nasais, gengivais, urinárias, gastrointestinais ou uterinas em virtude do sangramento de pequenos vasos na pele e nos órgãos internos. Caso não seja  tratada com rapidez, esse tipo pode levar à morte.

SÍNDROME DE CHOQUE DA DENGUE
A pessoa acometida por esse tipo de dengue apresenta um pulso quase imperceptível, inquietação, palidez e perda de consciência. Nessa manifestação  da doença, há registros de várias complicações, como alterações neurológicas, problemas cardiorrespiratórios, insuficiência hepática, hemorragia digestiva, derrame pleural e, não sendo tratada imediatamente, pode ser fatal.

TRANSMISSÃO
A dengue é transmitida apenas pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectado com o vírus da doença. A contaminação ocorre quando ele suga o sangue de uma pessoa portadora do vírus. Após um período de incubação, que se inicia logo depois do contato do pernilongo com o vírus e dura entre 8 e 12 dias, o mosquito está apto a transmitir a doença. É importante destacar que isso não acontece pelo contato com um doente ou com suas secreções, assim como o vírus também não é transmitido através da água ou alimento.

As pessoas infectadas com o vírus da dengue também podem prevenir-se das picadas do Aedes aegypti, utilizando repelentes e mosquiteiros. Dessa forma, é possível quebrar a cadeia de transmissão do vírus, evitando a transmissão do vírus para o mosquito. 
 
FIQUE SEMPRE ALERTA!

ATITUDES SIMPLES PROTEGEM VOCÊ E SUA FAMÍLIA DA DENGUE:
 
• Encha os pratinhos de vasos de plantas com areia até a borda

• Lave semanalmente o interior dos utensílios utilizados para armazenar água

• Mantenha bem tampados tonéis e barris d'água

• Mantenha a caixa d'água sempre fechada com tampa adequada

• Jogue no lixo todo objeto que possa acumular água

• Ao cultivar bromélias, é indispensável tratá-las com água sanitária na proporção de uma colher de sopa para um litro de água

• Evite jogar lixo em terrenos baldios

• Entregue seus pneus velhos ao serviço de coleta urbana ou perfure-os para que não retenham água

• Guarde as garrafas vazias sempre de cabeça para baixo e em local coberto

• Evite deixar a água da chuva acumular-se sobre a laje

• Remova folhas, galhos e tudo que possa impedir a água de correr pelas calhas

• Lave bastante os suportes de garrafões de água mineral sempre que trocá-los

• Verifique o acúmulo de água nas bandejas de ar condicionado

• Deixe a tampa dos vasos sanitários fechadas e verifique se há entupimento nos ralos

• Cacos de vidro no muro: coloque areia ou cimento em todos aqueles que podem acumular água.
  
TRATAMENTO
A dengue é uma doença dinâmica, que pode evoluir rapidamente de forma branda para uma mais grave. Seu tratamento requer bastante repouso e ingestão de muito líquido, como água, sucos naturais ou chá. É preciso ficar atento aos sintomas que podem indicar a evolução da doença. Aos primeiros sinais de contaminação, a pessoa com essa suspeita deve dirigir-se imediatamente a um posto de saúde e evitar o uso de qualquer medicamento à base de ácido acetil salicílico, como AAS, Melhoral, Doril, Sonrisal, Alka-Seltzer, Engov, Cibalena, Doloxene e Buferin. Por ter efeito anticoagulante, essa substância pode levar à hemorragia, agravamento da doença e ao óbito.
 
PRINCIPAIS FOCOS DE REPRODUÇÃO DO MOSQUITO
Caixas D'água • Tambores • Vasos de Plantas • Tanques • Cisternas • Garrafas • Latas • Pneus • Panelas • Calhas • Bandejas • Bacias • Drenos de Escoamento • Canaletas • Blocos de Cimento • Pneus • Folhas de Plantas • Tocos de Bambu • Buracos de Árvores • Cascas de Ovos • Lonas Frouxas • Entulhos Expostos à Chuva 

Importante: o ovo do mosquito pode sobreviver até 450 dias, mesmo se o local onde foi depositado estiver seco. Caso a área receba água novamente, o ovo ficará ativo e pode atingir a fase adulta em um espaço de tempo entre dois e três dias. Por conta disso, é indispensável eliminar água e lavar os recipientes com escova, água e sabão. 
 
A batalha contra a dengue é uma missão de toda a sociedade e só com a participação coletiva poderemos vencer de vez essa guerra.