Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
Notícia
Bahiana realiza Simpósio de Medicina da Família e Comunidade
Evento é fruto de parceria com o Programa de Residência de Medicina da Família e Comunidade.
A fim de celebrar o Dia do Médico da Família, a Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, em parceria com o Programa de Residência de Medicina da Família e Comunidade, realiza, no dia 5 de dezembro, das 13h30 às 18h30, no Campus Brotas, o Simpósio de Medicina da Família e Comunidade.

Destinado a estudantes, residentes e profissionais da saúde, o evento tem como objetivo discutir a atuação do médico da família por meio dos seguintes temas: “Especificidades do Médico de Família e Comunidade”, “Como este profissional está se preparando para enfrentar os desafios atuais”, “Práticas complementares em saúde”, “Relação médico-paciente”, “A família e suas formatações”, “Espiritualidade e saúde” e “Violência e iniquidade social”. Para isso, a organização do evento, que é coordenado pela professora do curso de Medicina e doutora em Medicina e Saúde Humana Rita de Cássia de Carvalho, preparou uma programação especial, que terá abertura com uma roda de conversa com os seguintes convidados: a mestra em saúde Andreia Beatriz, o Dr. Washigton Abreu (médico), Miriam Marambaia (médica) e Lílian Carvalho (médica).

O encontro também terá em seu programa um momento cultural com apresentação musical e uma palestra com o filósofo, psicólogo, médico e professor da Bahiana Dr. André Luiz Peixinho. Para finalizar, os participantes poderão visitar uma exposição de pôsteres de trabalhos científicos.

A coordenadora do evento explica que a Medicina de Família e Comunidade, busca realizar uma abordagem integral do paciente em seus mais diversos aspectos, partindo do princípio de que o Médico de Família e Comunidade (MFC) deve estar preparado para acompanhar as pessoas e suas famílias nos seus diversos ciclos de vida. Nesse contexto, pequenas urgências, o acompanhamento do pré-natal, do recém-nascido, a puericultura, o câncer e os cuidados paliativos, o acompanhamento de hipertensos, diabéticos e de pacientes com outros tipos de doenças crônicas são algumas das responsabilidades do MFC. "Para o exercício dessa especialidade, é necessário, além de boa formação clínica, um bom vínculo médico-paciente, uma eficaz comunicação com a comunidade e um aprendizado amplo no campo das ciências sociais para compreender questões ligadas à espiritualidade, à família, com todas as suas formatações, e a iniquidades sociais a que essas pessoas estão expostas."


Serviço
Data: 05/12/2019
Carga horária: 5 horas
Local: Campus Brotas - Sala 306 (Sala Marta Menezes) - Pavilhão III
Vagas: 100
Horário: das 13h30 às 18h30