Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
Notícia
Curso promove a cultura dos Cuidados Paliativos no Hospital Jorge Valente
Iniciativa é fruto de uma parceria entre a Bahiana e a unidade de saúde.
Promover a cultura dos cuidados paliativos entre os profissionais de saúde do Hospital Jorge Valente. Este é o objetivo de uma parceria entre a Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública e a unidade hospitalar, que teve como ação a realização de uma capacitação para médicos, enfermeiros, assistentes sociais e técnicos de enfermagem do hospital.

O curso foi realizado em um primeiro momento, na segunda semana de outubro, e atendeu duas turmas de médicos, enfermeiros e assistentes sociais, em dois encontros, totalizando 8 horas de capacitação. Nos dias 21 e 23 de outubro, também foram capacitados técnicos de enfermagem em uma carga de 4 horas. A mesma capacitação será realizada nos dias 28 e 30 de outubro. Todos os encontros estão acontecendo nas dependências do hospital e visam atingir o total de 160 pessoas atendidas.

A programação, que teve como facilitadores o professor da Bahiana e médico Dr. Franklin Santana e a médica Dra. Karoline Apolônia, abordou os temas “Filosofia hospitalar ou Cuidados Paliativos”; “Controle de sintomas”; “Comunicação de más notícias”; “Dor total” e “Bioética e Espiritualidade”.

Segundo o professor Franklin, a decisão de realizar o curso tem como base o Dia Mundial dos Cuidados Paliativos, celebrado em 12 de outubro, e que, este ano, trouxe o tema "Meus cuidados, meus direitos". O tema escolhido visa chamar atenção para o direito que todas as pessoas com uma doença grave têm: que é o de receber o atendimento de Cuidados Paliativos adequado dentro da política pública de saúde, e que contemple a necessidade de priorizar o financiamento de cuidados paliativos na Cobertura Universal de Saúde.

Ele explica ainda que o objetivo do curso é favorecer o entendimento pelos profissionais que trabalham nesse hospital, pelos princípios da filosofia Hospice ou dos Cuidados Paliativos. "Saber quando indicar, como dar uma má notícia, como controlar melhor um sintoma nesses pacientes, as implicações bioéticas, entender como os cuidados paliativos precisam de uma equipe multiprofissional para avaliar as multidimensões do sofrer, que a gente denomina como dor total, e fazer com que se crie uma cultura de cuidados paliativos dentro de uma unidade hospitalar, uniformizando os conhecimentos e os conceitos dos cuidados paliativos para que se fale uma mesma língua dentro do hospital e para que todos entendam o que são esses cuidados e suas indicações".