Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública
Notícia
Programas de mestrado profissional da Bahiana têm início com atividades práticas
Aula inaugural foi marcada por conferência e oficinas.
O semestre letivo dos alunos do programa de Pós-Graduação Stricto Sensu dos mestrados profissionais em Odontologia e em Psicologia e Intervenções em Saúde começou de forma pragmática. Já na aula inaugural, os novos alunos participaram da conferência "Mestrados Profissionais: cenários locais e nacionais", proferida pela doutora em Educação e professora permanente do Mestrado Profissional Gestão e Tecnologias Aplicadas à Educação GESTEC/UNEB e do Mestrado em Educação e Diversidade MPED/UNEB, Márcea Andrade Sales. A programação também contou com a realização de duas oficinas.

Estiveram presentes na abertura das atividades o diretor da Bahiana Saúde, Prof. Dr. Humberto Castro Lima Filho, as coordenadoras dos programas de mestrado Prof.ª Dra. Alena Peixoto Medrado (Odontologia) e Prof.ª Dra. Mônica Daltro (Psicologia e Intervenções em Saúde), a pró-reitora de Ensino de Graduação e Pós-Graduação, Prof.ª Dra. Maria de Lourdes de Freitas Gomes, a gestora acadêmico-pedagógica da Pós-Graduação da Bahiana, Prof.ª Silvia Passos e a vice-coordenadora do programa de Mestrado Profissional em Odontologia, Prof.ª Dra. Silvia Reis.

 
     


Conferência

Um breve histórico sobre os programas de mestrado profissionais foi o ponto de partida da fala da professora convidada Márcea Andrade Sales. Ela também apontou todas as etapas que um aluno de mestrado deve desenvolver ao longo de sua jornada acadêmica. "A modalidade profissional de pesquisa necessariamente está implicada com a prática, o que redunda em uma inserção social. A pesquisa precisa ser desenvolvida dentro da sociedade, isto é, a modalidade profissional, necessariamente, é intervenção social, é aplicabilidade do projeto e sua continuidade em uma comunidade", enfatizou a palestrante.

Ela ressalta, ainda, que a diferença entre a modalidade acadêmica e a profissional está no fato de que a primeira lida com a revisão teórica e produção de novas fontes de pesquisa. "O mestrado profissional, além de 'beber desta fonte', produz uma fonte diferenciada e ele, necessariamente, tem que ter aplicabilidade".

Coordenações

Em suas falas, as coordenadoras dos programas enfatizaram o desafio que é ingressar nesses cursos, tendo em vista o atual contexto político e econômico do país. "Nós estamos vivendo um momento muito difícil, mas nós precisamos nos reinventar, estimulando a criatividade para tentar trazer alternativas não só para a sobrevivência do programa, mas para qualificar o programa. A gente quer que o nível cresça cada vez mais. Então os novos alunos devem desenvolver um produto concreto que impacte na sociedade e que modifique e transforme a vida de outras pessoas, porque não adianta nada ter um produto que fique na prateleira".

Ainda no turno da manhã ocorreu a oficina "Mídias e Interatividade" com o professor José Roberto e à tarde foi a vez da oficina "Propriedade Intelectual: mecanismos de proteção às inovações", com a professora Fernanda Ferraz.

 


Confira a galeria de fotos.